…vê lá se a gorda quer uma canja!

Volta e meia, das fontes dos criativos do marketing e da comédia, brotam expressões e slogans que teimam em durar anos e anos, como se estivessem inscritos em pedra, qual Dez Mandamentos. Assim de repente, lembro-me logo de meia dúzia (algumas só farão sentido para quem nasceu antes do inícios dos 80’s).

Quando alguém fala em frio, ainda há quem graceje com “Frio? Eu não tenho frio. Tenho uma Termoteb e o meu pai também.”.

Quando alguém fala em sorte ainda há quem não tenha precoceitos em imitar um soldado com um piquinho a azedo, que ganhou uma licença de fim de semana graças a um produto de limpeza revolucionário: “Sorte nada…Xanpa!”.

Quando alguém pergunta “novidades?” ainda há sempre um otário que responde “novidades só no Continente”. Este já provoca asco e muitas vezes é um bom sinal para o início de uma daquelas conversas de circunstância das quais o melhor é pensar numa desculpa rápida para escapar depressa, nem que seja “estou à rasca p’ra cagar, falamos depois”.

Não são raras as vezes que alguém nos recorda que as quatro e meia ainda é a hora “Coca-cola light”.

Também há quem, de forma saudosista, não deixe morrer José Severino, personagem criada pelo Herman para a passagem de ano de 1991, pasteleiro de profissão e criador da deliciosa frase “Eu é mais bolos!”.

Mais recentemente, os Gatos brindaram-nos com o “falam, falam, e eu não os vejo a fazer nada” que é uma merda que serve para tudo e um par de botas.

Esta semana, no programa das manhãs da Comercial, na rubrica do Ricardo Araújo Pereira “Mixórdia de Temáticas”, poderá ter surgido um novo hino para as manifestações que se avizinham: “Gaspar, tudo se arranja. Vê lá se a gorda quer uma canja!” O tempo dirá se:

– a moda pega;

– será dedicado às gordas;

– será dedicado ao ministro das finanças;

– será dividido em partes (ou apenas “Gaspar, tudo se arranja!” ou “Vê lá se a gorda quer uma canja”;

– nenhuma das anteriores.

Por agora, faz-nos rir e, nos tempos que correm, motivos para rir começam a ser escassos e ainda não pagam imposto, nem estão sujeitos a taxas e descontos.